Amizades

Amizades. Sei que as faço com facilidade. Gosto de pessoas. Ao longo da vida, vou gostando de mais pessoas. Tenho os meus amigos para a vida. Aqueles que me acompanham e eu acompanho há “décadas de vida”. E outras que eu vou ganhando ao longo dos anos. Tenho orgulho de ter amigos de todas as idades. E aprendo com cada um deles. E divirto-me com cada um deles. E adoro a presença de todos. Quando estamos, como agora, presas a uma cama sem mobilidade para sair … esses amigos são -nos essenciais. Só me apetece dizer “obrigada” a toda a hora. E, por exemplo, até a simpática e doce D. que me transportou do Hospital das Caldas para o Porto, na ambulância, se tornou minha amiga do Facebook e é alguém que – mesmo virtual – me diz muito. Esteve com o seu sorriso e conversa a distrair-me do momento muito mau que estava a viver. Obrigada! Mil vezes obrigada a todos os que têm feito destes dias difíceis de dores, uns dias mais solarengos. :D

Obama

Às vezes gostamos das pessoas só porque sim. Quer sejam pessoas que conhecemos pessoalmente e com quem empatizamos imediatamente. Ou com figuras públicas. De algumas gosto e outras não. Se não as conheço não faz grande sentido mas creio que acontece com todos.

Barack Obama. Gostei dele mal o conheci, candidato a Presidente dos Estados Unidos. Não vi grandes debates mas o discurso franco e directo e o sorriso de gente boa fizeram com que estivesse a torcer por ele. Coube-me a sorte de estar no Quénia de férias no dia em que ganhou as eleições. Estava a fazer um safari em Masai Mara e, no intervalo para o pequeno-almoço, soube-o pela boca de um queniano Masai. Mágico. No meio daquela beleza e sendo Obama de ascendência queniana, foi uma alegria.

Passaram-se oito anos. Está quase de saída da Casa Branca e marcou a sua presença pela positiva. Continuou com o riso aberto em fotografias como as que estão aqui e com lágrimas nas alturas más. Quebrou protocolos que fizeram sorrir muita gente. Cumprimentou militares, limpadores de lixo e pessoas de todos os géneros. 

Vou ter saudades dele. Da espontaneidade, do sorriso, da natureza gentil e aberta e do charme (a Michelle que me perdoe :D).

Obrigada por ter feito a diferença, Sr. Barack Obama! 💗 O meu Presidente favorito dos EUA de todos os tempos. 💗

Casal Novo – S. Martinho do Porto 

E seria aqui que passaríamos o fim das férias. Ainda conseguimos aproveitar um dia e meio. Adorei tudo. A casa, muito bem decorada, em tons de azul e ideal para um casal. O exterior é fantástico. Com um grande alpendre, onde abundam motivos marinhos ou não estivesse localizada no litoral. Amei os peixes de cerâmica usadas para decoração das paredes. Assim como adorei as boias de salvamento. Fiquei com pena de só ter passado duas noites mas quero muito regressar. Para usufruir de um local lindo e cheio de paz. Voltarei. 💗

Lago Montargil & Villas

E antes de partir o pé, ainda conseguimos ter uma semana de férias (a primeira de duas), num hotel magnífico. Em Montargil no Alto Alentejo, com vista para o lago, muitas palmeiras e seis piscinas. O serviço do hotel é excelente. Fomos em regime de meia pensão e a comida era fabulosa. Principalmente as sobremesas. Com uma variedade e qualidade de se tirar o chapéu. Nessa semana deu para ler, apanhar sol, ir à todas as piscinas e descansar. Uma semana muito boa num hotel que recomendo a todos. Cinco estrelas em tudo! :D

Vizinhança 

No hospital tinha quatro vizinhas de enfermaria. Três delas de idade mais avançada. Duas delas com o mesmo nome. Como a primeira noite passei-a no corredor, só na terça feira as vi. A minha vizinha da direita, a B., era pouco mais velha do que eu. Tranquila, doce e amorosa. Acabamos por criar amizade num local onde tão poucos sentimentos eram bons. Ali, como ela dizia e bem, o sentimento era de que éramos invisíveis. E isso, acreditem, é bem pior do que nos sentirmos pequeninas. Variadas vezes juntamos as mãos, pelo meio das barras das camas de hospital, para ajudar uma ou a outra com dores. Aquele contacto fez-nos acreditar que tínhamos ali alguém que se importava connosco. Diminuiu a sombra das noites e aclarou os dias mais cinzentos. Obrigada, querida amiga, pelos apertos de mãos e pela conversa que nos ajudou às duas a passar o tempo e a esquecer as dores. Há pessoas que até podem passar de forma breve pela nossa vida, mas que a marcam de forma definitiva. E cabe a nós, vizinha, manter o que começamos numa enfermaria de um hospital. 

Gosto muito de si, minha B.! 🌸

Sierra

E nasceu a bebé da Daniela Ruah. Como sempre, partilhou com o mundo fotos da pequenina. Adorei esta em particular. O olhar maternal que tudo diz. E a paz da bebé a dormir colada à mãe. 🌸🌸

Como o nome do filhote mais velho é River e desta é Sierra, temos aqui uma clara intenção de ligação à Natureza. Rio e Serra em português soa estranho. Em inglês gosto da sonoridade. :D

Mais uma bebé – desta vez só em fotos – para eu babar… :)🌸💗

Teste

E a vida resolveu testar -me mais uma vez. Depois de três meses a ir  trabalhar de canadiana, a fazer fisio ao pé esquerdo todos os dias para evitar uma operação aos ligamentos e …eis que, no primeiro dia da segunda de duas semanas de férias, caio e parto o pé esquerdo. A andar. De sapatilhas e pé elástico. Sem que nada o fizesse prever.

O mundo cor de rosa de umas férias, até aquele momento fantásticas, virou preto. Nunca tive tantas dores na minha vida. E já conto com algumas operações cirúrgicas e outros problemas de saúde. O dia 19 de Setembro, dia de anos do meu cunhado, vai ficar na história pelas piores razões. Foi um pesadelo. As dores desde que caí até ser atendida por um médico. O médico que colocou o osso no sítio sem anestesia. Pensei que não iria suportar. Ainda me arrepio ao pensar naqueles momentos mas aqui estou. De pé operado e imobilizado durante seis semanas. E o outro com entorse. Ou seja, deitada numa cama até que pelo menos um esteja em condições que me permitam fazer uma coisa tão básica como é o ir à casa de banho. Com ajuda para lá chegar mas conseguindo, vai ser uma vitória. Cada dia que passa é um dia que diminuo às seis semanas. Cada dia é um “passo” – deitado :D – para conseguir tirar o gesso e, a seguir, começar a fisioterapia. 

Desta semana no hospital, tenho histórias de ternura e histórias de fugir. Vou recomeçar a escrever neste meu espaço. A deitar para fora todas as emoções que fui armazenando. Umas saíram com lágrimas de dor ou de pura frustração. Outras saíram em forma de sorriso ou de gargalhada sentida. Sim. Também se ri numa enfermaria cheia de bolor e humidade. 

Obrigada a todos os que têm estado comigo, seja de que forma for. E em especial ao maridão que não me largou um segundo desde então, e que já levou o voto matrimonial “na saúde e na doença”, para além de um nível o mais longe que poderia algum dia imaginar. A cada “desculpa e obrigada”, ele responde”não farias o mesmo por mim?”. Claro que sim. A verdade é que tem sido sempre ele. 

Obrigada, Amor da minha vida, por estares de pedra e cal ao meu lado.

Primária 

Vi estas imagens que os pais babados – Cláudia e Pedro – colocaram nas suas páginas do Facebook. Primeiro ano da pequenina na escola. Achei um doce as duas fotos.

Este ano tenho quatro das minhas crianças a entrarem para a escola. Como agora se diz, para o primeiro ano. Dois meninos e duas meninas. Como já tinha acontecido com os primeiro trio de crianças a comecar a escolinha, a tia Alice vai oferecer uma prendinha útil para a aventura das letras e números. :D Desta vez com mais um no grupo. Desejo a cada um deles a melhor adaptação do Mundo e que sejam muito felizes nesta etapa. 💖

E eu fico com aquele sentimento agri doce de que já deixaram de ser “os nossos bebés”. Já vão para a escola. Estão a crescer. 

Adoro-vos aos quatro. 💖💖💙💙

Atticus 

Ora bem… eu também não. 

Maternidade

A caminho de ter uma menina nos braços, uma foto ternurenta da Daniela Ruah com o seu filhote. Amei também o pormenor do urso… 💙👣

Boa noite, Mundo de Afectos!

Vida

É o objectivo da vida. Não existirmos somente. Eu sinto que estou a existir. A vida, salvo raras exceções, está a passar -me ao lado. Tenho saudades de me sentir leve. Tenho saudades de me sentir feliz sem ter um motivo. Tenho saudades de sorrir só porque sim. Tenho saudades de me sentir a viver. Tenho saudades de acrescentar dias à vida, como costumo dizer. E isso não é bom… mas vou conseguir, mais tarde ou mais cedo, viver em pleno. E o que eu prometo, cumpro.

Idade 

Sarar. Quando se está há três meses a tentar sarar uma questão física, é impossível que não precisemos de sarar também a parte psicologica. Passei todos os fins de semana desde que parti o pé em casa, com honrosas e deliciosas saídas para aniversários. Mais nada. O Verão está a passar -me completamente ao lado. E este fim de semana foi diferente. Uma única noite passada num local que eu adoro e com pessoas que eu adoro. Dois sobrinhos incluídos. Seis anos um e dois meses outro. Com o pequenino foi a paz de dar biberão com dois olhos brilhantes a olhar para mim. Com o maior brincadeira todo o fim de semana, com a tia obviamente sentada ou deitada. Já no domingo, estava eu a tentar marcar golos deitada ao sol e ele a fazer de guarda redes. De repente diz ele “Tia, tu não podes ter 45 ou 46 anos, como tu dizes.”. Sorri e perguntei porquê. “Por seres assim!”. E abre os braços a indicar a brincadeira. A cinquagesima daqueles dias. Fiquei de coração cheio e a pensar que, não que eu não soubesse já, mas as crianças são o melhor de mim. Obrigada, pequeno A.,por me ajudares a sarar com o teu Amor… 💙⚽

Sonhos de Menina

E eu como todas as meninas… sonhei. Muito. Sonhei com príncipes encantados. Sonhei com bebés rechonchudos que iria ter (chegando a escolher nomes). Sonhei com uma casa térrea com uma árvore de fruto e um pequeno jardim repleto de flores coloridas, e uma cerca branca a rodea-la. Sonhei. 

Hoje sei que os príncipes encantados não existem. Hoje ainda não tenho o bebé rechonchudo, e já não o devo ter. E hoje a casa com cerca também não é uma realidade. Isto não significa que não seja feliz. Os nossos sonhos de menina são feitos de muito pó de perlimpimpim. Crescemos e a vida ensina que podemos tentar ser o mais felizes que pudermos. Sem deixar de sonhar. Desta vez com sonhos de mulher.

Lista

Na passada segunda feira lá fui eu às urgências de novo. Falta de ar aflitiva, depois de alguns dias a tentar ficar bem com as minhas nebulizações caseiras. Ainda bem que fui com o maridão. No meio de tanta pergunta, comecei a não ter voz e lá teve ele que começar a responder. Na parte dos medicamentos, e dado que perdi a minha rica lista num hotel de Istambul – coisa chique – vimo-nos às aranhas. Com a ajuda do computador, lá conseguimos dizer os muitos comprimidos que tomo. Há pouco, decidi ao dividir os medicamentos da noite dos da manhã, escrever nas notas do telemóvel o nome, o composto, e a dosagem. Na próxima ida, saco do telemóvel e lá está tudo. Bem mais fácil. 

Pink

A tentar acreditar. Com muita força. 🌸

Silêncios & Gritos

Não sou mulher de silêncios. O silêncio, não confortável, faz-me confusão. Há poucas pessoas com quem conseguimos, por norma, ter silêncios bons e serenos. Trnho, felizmente, algumas pessoas do meu Mundo de Afectos com quem o consigo fazer. 

Gosto de falar no trabalho. De comentar o que se passa. De brincar no meio do caos que alguns dias são. Trabalhamos muito na base de um computador e muitos mails. O contacto com os colegas torna-se, assim, importante para mim.

Gosto de falar com as minhas crianças. Saber daqueles “segredos” que eles me confidenciam. Rir-me das tiradas de que não estou à espera. Dizem tudo o que pensam e sentem. E como eu adoro a inocência e alegria deles. 

Gosto de estar às horas ao telefone a falar com a minha irmã C. Temos pouco tempo, uma e outra, para o fazer. Quando conseguimos, é uma das coisas que mais gosto de fazer. Pular de assunto em assunto. Falar de tudo e nada. Como se não houvesse amanhã. 

Gostaria de falar com pessoas com quem não consigo. E quando não consigo e acumulo silêncios, um “grito” é o que apetece dar. Pode ser que aí, os meus sonhos passem a ser menos agitados e o sono mais retemperador.

Pokémons 

Imagem

Sapatos & Cebolas

Verdade, verdadinha. Para os que não gostam de cebola. :)

Abraço 

Este abraço tem uns dias e correu o país. Muito foi escrito sobre ele. Eu quis que ele ficasse registado no meu canto da escrita. No meu Mundo. Porque este abraço sentido de dois homens, um sendo Presidente da República e outro um madeirense a sofrer com o que perdeu nos malditos incêndios, entrou no meu coração. Pela sinceridade do gesto “que sai da foto” e à qual não consegui ficar indiferente. Porque é com gestos como este que se faz a diferença. Seja com quem for e por que motivo for. Abraçar faz milagres. 

Obrigada, Sr. Presidente. 

Dupla

Se eu tivesse a benção de ter duas filhas, faria exactamente este tipo de coisas. Biquínis cor de rosa iguais. Amei a foto. Doçura a duplicar. 💖💖

 Já agora, as filhas são da Carolina Patrocínio. :)

Previous Older Entries Next Newer Entries

Facebook

Junho 2017
S T Q Q S S D
« Dez    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930