Amizade, Amor, Coração

Perguntas

Existe uma frase qualquer com pássaros e gaiolas. Do género de quem vive em gaiolas ter medo de voar. E é uma metáfora perfeita para grande parte da vida das pessoas. Da minha vida. Da tua. Da do vizinho. Da do colega de trabalho. Da do amigo. Viver é uma constante tomada de decisões. Estamos felizes ou habituados a uma rotina que não é má mas que não nos preenche? Estamos a viver uma felicidade de que só iremos dar valor se um dia a perdermos? As questões são tantas e tão frequentes. Em relação à vida, aos projectos, ao local onde moramos, ao trabalho que fazemos, às pessoas que amamos.

E por vezes todas essas questões vibram na minha cabeça. Será que o que se tem é suficiente? Será que é salutar querer mais? Será que o nosso coração e a nossa razão têm que estar sempre no mesmo compasso de tempo? Não sei. Tantas perguntas sem resposta. Respostas que poderão nunca chegar, a menos que tenhamos a coragem de ficar ou de partir. De ficar na gaiola ou de voar. E mesmo assim, as perguntas surgirão na mesma. Seria mais feliz se tivesse ficado? Seria mais feliz se tivesse voado? Seremos nós todos eternos insatisfeitos, em busca de algo idílico e que, pura e simplesmente, não existe?

Sempre tentei ser fiel a mim própria. Creio que é o que todos queremos e tentamos. Se o conseguimos é uma das questões mais pertinentes e persistentes. Podemos achar ter toda a coragem do Mundo e acabar por não dar o passo por medo do desconhecido. Ou podemos ir com medo mas avançar mesmo assim. Caminhando. Voando. Seja como e de que forma for. Mas sempre com um fim em vista. Sermos felizes. Seja (também) lá isso o que for. ✨

Boa Noite! 💞

Anúncios
Amizade, Amor, Coração

Coração

A montar o puzzle.

A aprender a ficar triste sem chorar.

A lidar com decepções sem drama.

A viver mais forte e corajosa.

A amar sem muros.

A falar só o necessário.

A “gritar” o que é mesmo para ser ouvido.

A sussurrar o que é para ser nosso.

E assim vai o meu Mundo.

Hoje.

Amizade, Coração, Curiosidades

Asas

Comprei umas asas de anjo pretas e prateadas para levar ao jantar de Natal. Tenho plena consciência de que nada tinham que ver com o tema da festa. De qualquer forma, a justificação dada era que nalgum dos episódios da saga teria aparecido algum personagem com asas daquele género. A única verdade é que me senti linda com elas e com o vestido preto escolhido e adorado por mim. E se as noivas têm o direito de se sentirem princesas, eu tinha o direito de me sentir uma linda borboleta. E fui uma borboleta feliz. A deambular entre amores da minha vida. A distribuir e receber abraços apertados e cheios de sentimento. Adorei cada segundo. Sei que as asas chatearam algumas pessoas. Desculpem quem levou com elas no cabelo. Juro que não foi intencional. Eu tentei ser o mais meiga possível com a utilização delas. Foi o jantar de Natal de que mais gostei. Cantei, consegui até dançar, e dei gargalhadas como já não me lembrava de fazer. Daqueles momentos felizes e que ficam gravados na memória. Fui feliz ontem. Com asas. ❤

Amizade, Coração

Festa

E hoje é dia de festa e de estrelas. A festa de Natal (este ano um bocadinho atrasada) vai ser hoje. Há 15 anos que regressei à empresa, onde já tinha estado, e adoro essa festa anual. Só não vim por motivos de doença, que me obrigassem a ficar de cama. Foi o que aconteceu o ano passado. Este ano tem um sabor especial de vitória. Estou de pé e a andar. (Estar ainda de canadiana não interessa nada para o caso… 😊). Estou ansiosa por vestir a indumentária escolhida e pensada com todo o pormenor. Isto de sermos estrelas (por alguma coisa temos Star no nome) acarreta responsabilidades acrescidas. Vou tratar da minha maquilhagem com os meus produtos que eu adoro e… Brilhar. Quem lá estiver, vai perceber esta parte do brilho. A festa terá um tema (não obrigatório) do Star Wars – mais uma vez as estrelas – e eu adorei o adereço que escolhi. Ansiosa por rever amigos, dar abraços apertados e ser feliz. Sou sempre, desde há muito, nesta empresa e com estas pessoas. Let’s wait for the party! ⭐❤🌌

Coração

Negro

Há dias negros. Hoje eu tive um deles. Dores no pé e perna, por causa de um ponto infeccionado. Tudo em que toquei deu asneira. Estou com uma mala e uma canadiana, dois objetos que não funcionam de todo. Tenho um comboio para apanhar e, logo hoje, parece que tudo e todos se lembraram de pedir coisas. Stressei pela primeira vez desde que voltei ao trabalho. Forte e feio. No caminho para Campanhã apanhei um senhor super simpático que me ajudou com a mala. E outro que assistiu, impávido e sereno, ao meu esforço evidente sem esboçar um gesto. Quando cheguei ao início das escadas, olhei para ele. Virou a cara. É fácil. E covarde. E é este tipo de gente que tira bocadinhos de rosa ao meu mundo. Vou tentar serenar nas três horas que me separam do meu Mundo de princesas sobrinhas e princesa mana de coração. Amanhã será outro dia e melhor. Dia mau. Também existem.

Amizade, Amor, Coração

Silêncios

Depois deste ano, tenho consciência de que estou mais silenciosa. E isso não é necessariamente mau. Tem alturas, tipo o jantar de ontem em que tive a noção de que “palrei” o tempo todo, e outras em que só falo se realmente considerar que é o melhor que tenho a fazer. Se não achar, mantenho-me em silêncio. E isso sim, é novidade em mim. Não era, de todo, uma mulher de silêncios.

Os silêncios serem também resposta, e salvo honrosas exceções, odeio que o sejam. Para mim, falar continua a ser a melhor forma de resolver tudo. Coisas boas. Coisas más. Coisas mal resolvidas. Por norma, as duas partes ficam melhor. Nem que a decisão ou as directrices seguintes não sejam do agrado das partes, alguma luz sai dali. O que não acontece com a maioria das discussões, de onde normalmente só sai asneira, mágoa e orgulhos feridos. Já não quero falar de tudo. Essa Alice não existe mais. Existem assuntos tão pequeninos e pouco relevantes que, se não se derem importância, passam rapidamente e sem mácula. Há outros que, quanto a mim, gostaria de falar e colocar pontos de ordem, três pontinhos ou mesmo pontos finais. Até esses às vezes são necessários. E é isto. Silêncios, Conversas e Discussões. Vivemos com tudo. Aprendamos a ter tudo com conta, peso e medida… ✨