Teste

E a vida resolveu testar -me mais uma vez. Depois de três meses a ir  trabalhar de canadiana, a fazer fisio ao pé esquerdo todos os dias para evitar uma operação aos ligamentos e …eis que, no primeiro dia da segunda de duas semanas de férias, caio e parto o pé esquerdo. A andar. De sapatilhas e pé elástico. Sem que nada o fizesse prever.

O mundo cor de rosa de umas férias, até aquele momento fantásticas, virou preto. Nunca tive tantas dores na minha vida. E já conto com algumas operações cirúrgicas e outros problemas de saúde. O dia 19 de Setembro, dia de anos do meu cunhado, vai ficar na história pelas piores razões. Foi um pesadelo. As dores desde que caí até ser atendida por um médico. O médico que colocou o osso no sítio sem anestesia. Pensei que não iria suportar. Ainda me arrepio ao pensar naqueles momentos mas aqui estou. De pé operado e imobilizado durante seis semanas. E o outro com entorse. Ou seja, deitada numa cama até que pelo menos um esteja em condições que me permitam fazer uma coisa tão básica como é o ir à casa de banho. Com ajuda para lá chegar mas conseguindo, vai ser uma vitória. Cada dia que passa é um dia que diminuo às seis semanas. Cada dia é um “passo” – deitado :D – para conseguir tirar o gesso e, a seguir, começar a fisioterapia. 

Desta semana no hospital, tenho histórias de ternura e histórias de fugir. Vou recomeçar a escrever neste meu espaço. A deitar para fora todas as emoções que fui armazenando. Umas saíram com lágrimas de dor ou de pura frustração. Outras saíram em forma de sorriso ou de gargalhada sentida. Sim. Também se ri numa enfermaria cheia de bolor e humidade. 

Obrigada a todos os que têm estado comigo, seja de que forma for. E em especial ao maridão que não me largou um segundo desde então, e que já levou o voto matrimonial “na saúde e na doença”, para além de um nível o mais longe que poderia algum dia imaginar. A cada “desculpa e obrigada”, ele responde”não farias o mesmo por mim?”. Claro que sim. A verdade é que tem sido sempre ele. 

Obrigada, Amor da minha vida, por estares de pedra e cal ao meu lado.

Primária 

Vi estas imagens que os pais babados – Cláudia e Pedro – colocaram nas suas páginas do Facebook. Primeiro ano da pequenina na escola. Achei um doce as duas fotos.

Este ano tenho quatro das minhas crianças a entrarem para a escola. Como agora se diz, para o primeiro ano. Dois meninos e duas meninas. Como já tinha acontecido com os primeiro trio de crianças a comecar a escolinha, a tia Alice vai oferecer uma prendinha útil para a aventura das letras e números. :D Desta vez com mais um no grupo. Desejo a cada um deles a melhor adaptação do Mundo e que sejam muito felizes nesta etapa. 💖

E eu fico com aquele sentimento agri doce de que já deixaram de ser “os nossos bebés”. Já vão para a escola. Estão a crescer. 

Adoro-vos aos quatro. 💖💖💙💙

Atticus 

Ora bem… eu também não. 

Maternidade

A caminho de ter uma menina nos braços, uma foto ternurenta da Daniela Ruah com o seu filhote. Amei também o pormenor do urso… 💙👣

Boa noite, Mundo de Afectos!

Vida

É o objectivo da vida. Não existirmos somente. Eu sinto que estou a existir. A vida, salvo raras exceções, está a passar -me ao lado. Tenho saudades de me sentir leve. Tenho saudades de me sentir feliz sem ter um motivo. Tenho saudades de sorrir só porque sim. Tenho saudades de me sentir a viver. Tenho saudades de acrescentar dias à vida, como costumo dizer. E isso não é bom… mas vou conseguir, mais tarde ou mais cedo, viver em pleno. E o que eu prometo, cumpro.

Facebook

Setembro 2016
S T Q Q S S D
« Ago   Out »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930