Junta Médica

image

Terceira vez. Quando tive o acidente neurológico, em 2012, estive de baixa pós-avc quatro meses. Fui chamada a uma Junta Médica e não foi bonito. Ainda por cima, nunca me tendo acontecido e sabendo que estava efectivamente sem condições para trabalhar, ia o mais descansada que podia ir. Com os relatórios médicos e os exames. Correu muito mal. Fui mal tratada, rasgaram documentos que me pertenciam à minha frente e o veredicto foi que me iam retirar a baixa. Saí de lá em prantos. Nunca fiz uma queixa num Livro de Reclamações. Deveria, sem sombra de dúvida, ter feito naquele dia. Estava acompanhada da minha irmã C., que tratou de ir investigar o que poderia ser feito e fizemos o recurso da decisão. Voltamos lá mês e meio depois, foi-me dada razão e recebi o subsídio do tempo todo em que ele tinha sido suspenso. Justiça reposta mas fiquei sempre com a má recordação do choque de tratarem mal quem está frágil porque está doente.

A semana passada recebi a convocatória para a Junta Médica. Num local diferente o que, de alguma forma, me tranquilizou. O outro era num edifício velho. Parecia um daqueles orfanatos antigos, escuro e sombrio. Hoje foi em Valadares. Em frente ao mar. Num edifício antigo e muito bonito. Em tons de amarelo. Mal entrei senti a diferença no tratamento. Estava nervosa. Mais uma vez estou efectivamente doente e ia com o relatório da médica e com os exames. Mas, desta vez, sabia que isso nem sempre é sinal de justiça. Chamaram-me à hora marcada e estive meia hora à espera, já sozinha, porque uma médica faltou e tiveram que ir chamar um médico para completar a Junta. O “Boa tarde, pode sentar-se”- que não existiu na outra situação – já me deixou mais animada. E o pedido de desculpas pela demora, quase me pôs de boca aberta. Foram educados, simpáticos e eficientes. Viram o relatório da médica, viram os exames, fizeram perguntas, analisaram e vim com a continuação da “incapacidade temporária para o trabalho”.

Eu não acho que os médicos tenham que ser simpáticos para serem bons profissionais. Educados com todos os que lhes aparecem lá para serem avaliados, isso sim. Este controlo deve e tem que existir. Há quem forje doenças para estar em casa mas a maioria está porque tem que estar. E estando doentes e, eu falo por mim, fico mais fragilizada. A Alice no seu estado normal não teria deixado aqueles elementos da Junta Médica em 2012 sem uma resposta educada mas à altura. Não o fiz porque fiquei sem chão. Tão estupefacta que só reagi, chorando desalmadamente, quando me agarrei a minha mana e desabei.

Hoje foram todos, sem excepção, correctos, educados e até simpáticos. E é assim que deve ser. Com todas aquelas pessoas que, como eu, lá estavam. E até o edifício recuperado dá outro ânimo. Arejado, com muita luz e vistas para o mar. :-)

Agora é continuar a luta para a recuperação. <3

E um OBRIGADA a todos os que, ontem, me mandaram um "manto de amor" nas mais diversas formas, para me dar força. Sem vocês isto estaria a ser bem mais difícil. Love You! <3

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Facebook

%d bloggers like this: